Trabalho, emprego e carreira: tudo a mesma coisa, só que não!

U ma vez assisti uma entrevista que ficou na minha memória e o entrevistado dizia exatamente isso: “pode faltar emprego, trabalho não”. Mesmo que o emprego esteja em falta, trabalho sempre tem.

Os termos trabalho e emprego se correspondem, todavia, possuem significados diferentes. Segundo o Dicionário Aurélio, o termo trabalho é definido como “uma aplicação das forças e faculdades humanas para um determinado fim. É uma atividade coordenada, de caráter físico e/ou intelectual, necessária à realização de qualquer tarefa, serviço ou empreendimento” (Ferreira, 2008). O emprego segundo a mesma publicação é “uma colocação, um cargo ou ocupação em serviço particular, público, etc.” (Ferreira, 2008). O termo trabalho é mais antigo que emprego, o qual é um relacionamento estabelecido entre quem organiza o trabalho ou detém os meios de produção e quem realiza o trabalho. E essa relação é recente na história da Humanidade.

trabalho é mais antigo que o emprego, o trabalho existe desde o momento que o homem começou a transformar a natureza e o ambiente ao seu redor, desde o momento que o homem começou a fazer utensílios e ferramentas. Por outro lado, o emprego é algo recente na história da humanidade. O emprego é um conceito que surgiu por volta da Revolução Industrial, é uma relação entre homens que vendem sua força de trabalho por algum valor, alguma remuneração, e homens que compram essa força de trabalho pagando algo em troca, algo como um salário.  (Instituto de Matemática e Estatística-IME da USP, 2016)

A carreira é a nossa profissão, é uma atividade ou ocupação especializada da qual se podem tirar meios de subsistência (Ferreira, 2008). E essa relação então, é mais recente ainda, uma vez que a sociedade moderna se tornou altamente especializada em áreas e campos de atuação após a Revolução Industrial. A especialização caracteriza profissionais com curso superior que os habilita a desempenhar determinados papéis dentro de nossa sociedade como, por exemplo, as carreiras de advogado, engenheiro, médico, biólogo, fisioterapeuta, entre outras tantas que existem atualmente. E a escolha de uma carreira que pode torná-lo mais ou menos bem sucedido na vida, tornou-se uma questão que atualmente nos deixa sem dormir.

Quando estamos a escolher um curso universitário parece que esse será o caminho pelo qual iremos nos definir, e que iremos seguir após concluir a graduação, todavia nada na vida é definitivo e essa perspectiva nos falta muitas vezes, especialmente quando somos muito jovens. Segundo Sofia Esteves, especialista em carreira, podemos sair muito bem formados da universidade, mas muito mal informados acerca das nossas opções de carreira. Nós saímos formados, mas ainda não sabemos como agir profissionalmente na carreira que escolhemos.

 Carreira é o mais importante?


Uso o termo jornada porque carreira parece-me muito engessado, é como se você escolhesse um caminho que fosse seguir a vida a toda, e se pensar em mudar então… parece que será o fim do mundo! E na vida real não funciona bem assim, prefiro caminho profissional ou jornada, pois são termos que representam melhor o que isso significa na nossa vida. Temos uma jornada, cada passo dado contribui na definição do nosso caminho, afinal é uma construção e não algo que já vem pronto. Não podemos prever aonde essas estradas irão nos levar por mais tracemos metas e planos mirabolantes… a vida sempre faz questão de nos surpreender. Afinal, nos dias de hoje e diferente de umas décadas atrás, a faculdade não lhe traz garantia de um emprego certo, e entrar numa grande empresa não significa que você irá aposentar-se nela.
O que você vai ser quando crescer?
Crescemos com a pergunta: o que você vai ser quando crescer? Primeiramente essa pergunta nega toda a existência da criança, como se ela já não fosse alguém. E em segundo lugar, temos nossa mente moldada por um sistema de ensino que nos faz “escolher” uma profissão, para então ser alguma coisa que se encaixa no quebra-cabeça que é a nossa sociedade. E, por conseguinte, você passa a se identificar com a sua carreira ou profissão, por isso se as coisas forem mal terá problemas. O que desejo enfatizar é que carreira não é o mais importante. E você pode perguntar por que alguém que escreveu um ebook sobre isso, diz que carreira não é o mais importante? Esclareço que essa é apenas uma das partes que compõe a sua vida, todavia ela não é a sua vida. Faz sentido? Pensemos num carro: posso dizer que o volante é uma peça importante para guiar o veículo, todavia ela não é o carro. Há outras partes que compõe um carro, e todas elas juntas nos permite chamar esse tipo de veículo de “carro”. Portanto, se você identifica-se completamente com essa área da sua vida, como eu fiz, terá grandes crises de identidade quando estiver mal no emprego ou na carreira. É importante que você alargue a sua visão e veja isso como uma peça importante das partes que o compõe, todavia você é mais do que sua carreira ou profissão. Isso tem implicações inclusive na sua autoestima ao buscar emprego, ou ao perder um emprego e mesmo ao buscar recolocação profissional. Pois essas ocasiões podem fazer você sentir-se um fracassado, e é como se fosse um fracassado na vida, quando na verdade é apenas no trabalho.  Dê a devida importância para cada área de sua vida, mas deixe-as no seu devido lugar.

Obviamente essa carreira e trabalho tem um peso enorme, pois é onde empregamos a maior parte do nosso tempo de vida. E por essa razão se faz necessário tantas considerações nesse assunto. Não à toa vivemos uma crise atual nessa área, fomos educados para ser ou fazer alguma coisa, mas quando chegamos na realidade do mercado trabalho muitas coisas não fazem sentido, e ficamos perdidos em meio ao universo de opções que hoje se apresentam a nós. Chegamos à faculdade, terminamos e aí? Formei! E agora?! Por isso enfatizo que carreira não é o mais importante, muitas pessoas possuem uma formação universitária que não coresponde em nada ao caminho profissional que trilham ao concluir a universidade. Entretanto, deixo claro que a universidade é um universo riquíssimo em termos de experiências e treinamento de habilidades, onde aprendemos a aprender cada vez melhor. A ideia nesse texto é evitarmos as frustrações que decorrem de nos vermos optando por caminhos diferentes dos quais planejamos, e por isso explorar as opções de carreira é importante para a ampliação dos horizontes e prospecção de oportunidades profissionais.

Referências

  • FERREIRA, Aurélio B. H. Miniaurélio: o minidicionário da língua portuguesa. Coord. Marina Baird Ferreira. 7 ed. Curitiba: Ed. Positivo. 2008.
  • INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA (IME). Universidade de São Paulo. Empregos e trabalho. Disponível em:<https://www.ime.usp.br/~is/ddt/mac333/projetos/fim-dos-empregos/empregoEtrabalho.htm>. Acesso em: 05 jan. 2016.
  • Regina Freitas

    Bióloga e educadora. Acredito ser possível melhorar a qualidade da relação das pessoas consigo mesmas e com os recursos naturais. Assim, compartilho da ética da Permacultura que envolve cuidar das pessoas, cuidar da terra e a partilha justa dos recursos. Sigo desenvolvendo atividades para tornar esse propósito uma realidade.

    Deixe seu comentário

    Seu endereço de e-mail não será publicado. Required fields are marked *