Projeto Trilha Subaquática

A inclusão da Educação Ambiental no currículo é um dos desafios apontados pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) em suas publicações sobre esse tema. A transição para sustentabilidade apresenta-se como um desafio para as escolas no âmbito do espaço físico, gestão e do currículo. Existem dificuldades durante o planejamento e definição de estratégias que permitam uma implementação eficiente dos conceitos de Sustentabilidade por partes das escolas no que tange à gestão, rotina escolar e carga horária dos professores. E se em espaços de ensino-aprendizagem como escolas e universidades há desafios dessa natureza na implementação de práticas em Educação Ambiental, é possível imaginar os desafios em espaços não formais de aprendizagem tais como Unidades de Conservação.

O Projeto Trilha Subaquática tem por objetivo o treinamento conceitual e prática de educação ambiental relacionados a atividades típicas do ambiente marinho, como mergulho, visitas a ecossistemas costeiros e alfabetização ecológica, visando a formação principalmente a formação de agentes multiplicadores dessas atividades.

Por acreditar no poder transformador da educação e das crianças e jovens como agentes de mudança, o projeto de Educação Ambiental Trilha Subaquática idealizado pelo Professor Doutor Flávio Berchez, do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP), tem por objetivo alertar e promover a tomada de consciência por parte de alunos de escolas públicas e a população em geral, sobre as mudanças climáticas e os riscos que ela oferece ao nosso modo de vida e à biodiversidade. Para alcançar esse alvo o projeto trabalha especialmente com EA em ambientes costeiros por meio de quatro atividades:

  1. Mergulho livre (Trilha Subaquática);
  2. Caminhada na Mata Atlântica (Trilha das Mudanças Climáticas Globais);
  3. Visita ao Aquário Natural e;
  4. Trilha em caiaque.

Atualmente nos comunicamos com nosso público por meio de redes sociais e blog. Como resultado desse trabalho foram formados cerca de 200 monitores ambientais foram formados pelo projeto ao longo de 12 anos de história. Atuo na atividade do Aquário Natural, cuja equipe atendeu aproximadamente 878 visitantes da Unidade de Conservação Parque Estadual da Ilha Anchieta, em Ubatuba/SP, no período de 08 à 13 de janeiro de 2018.

EQUIPE

Coordenador do  projeto

  • Ricardo Mazzaro, biólogo
  • Equipe técnica

    Monitores
    1. Luiza Lozar Ulian, bióloga
    2. Gabriela Rodrigues França, bióloga
    3. Pamela Cristina Ribeiro Silva, bióloga
    4. Monique Rached, bióloga
    5. Regina Maria de Freitas, bióloga
    6. Carolina Pestana da Silva, bióloga
    7. Camila Chacur Meneguelli, bióloga
    8. Marcela Caovila Aquino Geraldino, bióloga
    9. Ricardo Takeshi Mori Hiroce, engenheiro elétrico
    Especialistas
    1. Curso de Mergulho Livre – Thiago Podadera Costa_ Master diver
    2. Curso de Pesquisa em EA – Nathalia  Pirani Ghilardi Lopes – Doutora em Ciências Biológicas com ênfase em Educação Ambiental e ecologia. Professora adjunta na Universidade Federal do ABC.

    Parcerias

    • Instituto de Biociências (IB) da Universidade de São Paulo (USP) – São Paulo/SP
    • Parque Estadual de Ilha Anchieta (PEIA) – Ubatuba/SP

    Redes sociais do projeto

    Deixe seu comentário

    Seu endereço de e-mail não será publicado. Required fields are marked *